sábado, 2 de janeiro de 2016

QUEM CONTA UM CONTO... | O passaporte para a viagem


Dei-to com a maior das confiança e certezas. Tinha por certa a ideia de que era comigo que querias embarca na viagem mais longa e provavelmente mais bonita das nossas vidas. A certeza de que estavas tão ou mais feliz do que eu deixava o meu coração a palpitar. Era uma felicidade que eu nunca tinha sentido, estava a partilha-la contigo, o dono do passaporte da maior a mais bonita viagem alguma vez feita.

Fizeste mil e uma coisas, compraste imensa roupa nova, pensaste em comprar um carro novo e até andaste a ver casas novas para quando regressássemos da viagem ter um novo lar. Como se já fossemos uma família. 


A viagem estava a correr às mil maravilhas, como se costuma dizer ,e tu sempre com a mesma felicidade desde o primeiro dia. Nada te escapava, estavas sempre atento e presente.

E o último dia desta viagem chegara e tu ainda mais feliz estavas. Ansioso também. Mas nunca medo. Pelo menos na tua cara ou na tua voz.

Regressamos à casa nova, ao nosso lar.

 Vi em ti um medo que nunca tinha visto durante a viagem. O medo tirou-te a felicidade e a responsabilidade. Pelo menos é isso que quero acreditar, como forma de justificação para alguns dos teus erros.  Eu sei que não o devia fazer, até porque deixaste a casa a que um dia chamaste lar, apenas com um papel colado na porta do frigorífico a dizer: " Fui embora. Não me procures. Quero viver a minha vida. ."

E desde desse dia nunca mais te vi, nem fiz questão de te procurar. Fiz daquela casa um lar, mas um lar onde há alegria, felicidade, confiança e partilha. Tudo aquilo que tu não soubeste dar enquanto lá estiveste.

2 comentários:

Effy Stonem disse...

Oh, adorei a história :o Pena acabar assim..
R: Obrigada :p

Jessy disse...

Mas que história, é pena não ter um final feliz :o