quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

BLOGOSFERA | O meu "Tempo de Antena" no blogue da Carolina

Não sei não o ter

Eu não sei não o ter. Não sei o que é não o ter. Não sei como fazer se um dia não o tiver.
Não é uma questão de comodismo. Eu não acomodei a ele, nem à presença dele. Eu simplesmente amo-o. E amar não é acomodar.

As outras pessoas preferem acomodar-se porque têm medo de ficar sozinhas. Eu não. Tenho-o porque me acho merecedora do amor que ele me dá, daquilo que eu lhe dou e por tudo aquilo que me faz sentir. Descobri o significado de lutar, de alcançar objetivos, e foi com ele. Ele ensinou-me o verdadeiro significado de não desistir, aquele que até então não fazia parte do dicionário da minha vida. 

Não quero um dia vir a dizer que estamos juntos só porque sim. Isso não vale. Isso é falhar. Não que, enquanto seres humanos não possamos falhar, mas depois de tanta persistência e coragem para ficarmos juntos, falhar é o que eu não quero. Acredito que somos uma exemplo de verdadeiro amor. 

A minha vida não é só ele, nem gira à volta dele. Admiro a nossa enorme capacidade de saber separar as águas, como popularmente se diz. Temos tempo para tudo: para a família, para os amigos e para nós.

Todos os amores têm um ponto de partida, mas acho que a meta do fim nunca é verdadeiramente alcançada. E isto sou eu mais uma vez a acreditar na celebre frase "e viveram felizes para sempre". Por muito ingénua que seja em acreditar nisto, é na verdade isto que todos os dias me faz olhar para ele e acreditar nisso, ter essa esperança. Não há recompensa nenhuma que pague o olhar dele, cheio de ternura e de amor para me dar.

Termino como comecei: eu não sei não o ter. Eu não quero saber não o ter, porque um dia ( se um dia) eu já não o tiver é porque falhamos.

E nós não vamos falhar pois não?


No blogue da Carolina aqui.

1 comentário:

Sara disse...

Vi-o no blog da carolina, e adorei! Idenfico-me imenso!