quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Amor | Carta ao padrinho!


Esta já é a segunda vez que te escrevo aqui no blog. Faz sentido. Aqui só falo das pessoas que significam alguma coisa para mim. Tu, significas muito.
Pergunto-me constantemente de como seria se hoje estivesses aqui. Questiono-me se a nossa relação seria tão forte hoje como era no dia em que me deixaste.
É uma amargura, uma mágoa enorme. É o sentimento de perda que perdura em mim. Acho que por ser tão nova não consegui fazer aquilo a que se chama de luto, e por isso hoje sofro as consequências disso. A nossa relação foi banalizada por outros e daí não entenderem que eu sofri e sofro muito. 

Há coisas que não fazem sentido. Há coisas que nunca deviam acontecer. A tua partida é uma dessas coisas. A forma ridícula e parva com que partiste leva-me a tantas perguntas. Porquê? Porque me fizeste isso? Não percebes que me fazes falta? Tu não podias ter-me feito isto!

Ficava para lá de feliz quando te via. Quando a mãe me dizia que vinhas cá a casa eu ansiava a tua chegada. Sabia que o dia ia ser diferente. A tua presença fazia a diferença. Tinhas um sorriso inconfundível.E o cabelo mais lindo que alguma vez vi. Eras dono da tua vida. Sabias dar o mais bonito de ti às pessoas: o teu amor! Tu não podias ter-me feito isto!

Evito visitar-te à tua " última morada". Eu sei que vou chorar. Não quero que me vejam chorar. Não iriam perceber o porquê de eu o fazer passados mais de 5 anos. Fotografias tuas estão guardadas. De longe a longe a mãe lá se lembra e vê o álbum de fotografias e olha com saudade e ternura para elas. Eu retrai-o-me. Prefiro não ver. Eu ia chorar. É em ti que deposito muitas das minhas tristezas e todas as minhas alegrias. Eu sei que me proteges. Eu sei que és tu. Só faz sentido sendo tu.

Vou sempre, para toda a vida ter saudades tuas. Isto nunca vai passar. O facto de não me ter despedido de ti, faz com que a saudade perdure. Ainda me lembro do teu último convite. Era o nosso fim-de-semana na tua casa nova. Ah, e se hoje sou doida por Mc Donalds é graças a ti. Obrigadinha por teres sido o primeiro a lá levar-me! Outra coisa, já me esquecia: nunca mais comi aqueles ovos moles. Sofremos muito de dores de barriga que achei que não devia tornar a comê-los.

Obrigada por todos os momentos bons que contigo vivi. Obrigada por teres ajudado a fazer de mim a pessoa que sou hoje. Obrigada por teres depositado o melhor de ti em mim. Espero que aí de cima tenhas muito orgulho em mim, e que estejas feliz por veres que a menina que deixaste hoje já é uma mulher!


4 comentários:

Carolina disse...

Muita força querida* Ele está muito orgulhoso!

Coquinhas disse...

<3 Miminho

A disse...

Esteja ele onde estiver, tenho a certeza que está a olhar por ti :) Força!

Elena disse...

Aw que publicação linda. Não consigo imaginar como é a dor de uma perda, nem quero pensar no dia em que vou ter de enfrentar isso. Muita força minha querida e pelo que dizes, ele está sempre contigo, nem que seja por essas "coisinhas" que ele te foi transmitindo :)